Polícia Militar prende quadrilha que fraudava contas bancárias pela internet


24/04/2009
Quatro homens e uma mulher foram presos em flagrante na noite de ontem (22), em Mongaguá, no Litoral do Estado, acusados de integrar uma quadrilha que fraudava contas bancárias pela internet. O grupo conseguia roubar dados sigilosos dos clientes e desviavam o dinheiro das contas. No momento da prisão, integrantes do grupo ofereceram R$ 5 mil aos policiais para evitar a prisão. Os policiais fingiram aceitar a proposta e prenderam também uma empresária, namorada de um dos integrantes da quadrilha, que foi até o local para entregar um cheque com o valor do suborno.

Policiais militares da 2ª Companhia do 29º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano do Interior (BPM/I) foram acionados via CAD (Centro de Atendimento e Despachos da Polícia Militar) para se dirigirem a uma casa na rua Osmar Pereira de Novaes, no bairro Itaguaí. De acordo com informações de uma denúncia anônima, quatro homens estariam no local com diversos cartões clonados e números de contas bancárias. Eles também estariam realizando transações bancárias através da internet.

Os policiais cercaram o local e foram recebidos pelo cabeleireiro F.G.O., 30 anos. Ao entrarem na residência, os policiais encontraram diversos cartões bancários, computadores, aparelhos celulares e documentos diversos. Dentro da casa, os policiais abordaram e identificaram mais três integrantes do grupo: o segurança W.G.O., 24 anos, o atendente L.A.A., 25 anos e L.S.S., 24 anos. Durante revista pessoal, quatro porções de cocaína foram encontradas no bolso da jaqueta de L..

Os homens utilizavam a internet móvel para fazer as transações e anotavam dados das contas bancárias e informações sigilosas de clientes em cadernos. Foram encontrados e apreendidos ainda diversos cartões clonados com as senhas dos clientes, aparelhos celulares, notebooks, três computadores, três pen drives, três atestados médicos falsos e uma folha de cheque.

Questionado pelos policiais, F. admitiu que estavam realmente fazendo as transações bancárias na casa, que era alugada, e ofereceu a quantia de R$ 5.000 para tentar evitar a prisão. Os policiais fingiram aceitar e o acusado ligou para sua namorada, a empresária F.A.A., 33 anos, para que ela fosse até o local entregar o dinheiro.

Ao chegar, a mulher preencheu uma folha de cheque com o valor citado e, nesse momento, os policiais deram voz de prisão em flagrante para todos os envolvidos. O grupo será indiciado por uso de documentos falsos, formação de quadrilha, corrupção ativa e porte de entorpecentes. Os quatro homens serão transferidos para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Praia Grande e a mulher para a Cadeia Feminina de São Vicente.

Fonte: Secretaria de Segurança Pública de São Paulo
Quinta-Feira, 23 de Abril de 2009


Publicado por: Bira Castellano - jornalista mtb 18045

       

Notícias