Banda larga é realidade para mais de 10 milhões


22/08/2008
É um público consumidor diferenciado. É uma quantidade de gente que qualquer empresa gostaria de poder falar para oferecer seus produtos. E agora.... com maior possibilidade de abordagem com processos multimidias dentro da própria Internet. Essas são algumas das vantagens que a Internet de Banda larga proporciona para o Brasil. A tecnologia e os pacotes comerciais das grandes operadoras do mercado proprocionaram a antecipação em dois anos desses números, já que eram as previsões anteiores voltadas para 2010. É a era da convergência já. Tv, Vídeo, filme, revistas, jornais, divertimento em um só lugar e disponível para muitos.

Bira Castellano, 47, empresário, jornalista, publicitário e videomaker.

Veja matéria referente da agência Estado:

Dez milhões de brasileiros já usam internet rápida

O total de assinantes de internet rápida (banda larga) no Brasil chegou 10,04 milhões em junho, segundo o estudo Barômetro Cisco de Banda Larga, da consultoria IDC. O número representa um crescimento de 48% em relação ao primeiro semestre de 2007. O destaque foi para a banda larga móvel (via rede celular), que chegou a 1,314 milhão de assinantes, avanço de 464% sobre junho de 2006. O número não inclui aparelhos celulares de terceira geração (3G) que acessam a rede mundial.

Com o resultado, o Brasil alcançou, em junho, o número de conexões de internet em alta velocidade esperado inicialmente só para 2010 pelos organizadores do Barômetro Cisco de Banda Larga. "Na primeira edição do estudo, em 2006, definimos como meta atingir 10 milhões de assinantes em 2010", afirmou Pedro Ripper, presidente da Cisco do Brasil, fabricante de equipamentos de comunicação de dados que encomendou a pesquisa. "Muitos consideraram a meta ambiciosa demais.” Como a meta já foi alcançada, a nova previsão para 2010 é de 15 milhões. Para este ano, a expectativa do executivo é que o total de assinantes de banda larga no Brasil fique próximo de 12 milhões.

O desempenho do mercado de banda larga móvel foi muito diferente entre o primeiro e o segundo trimestres deste ano. No primeiro trimestre, as operadoras tinham acabado de lançar o serviço 3G e colocaram no mercado promoções agressivas, que chegavam a oferecer o serviço por uma mensalidade de R$ 20, sem a necessidade de provedor de acesso. (AE)


Publicado por: Bira Castellano

       

Notícias