Vírus Pressa do Eu


Vírus "Pressa do Eu" contamina bilhões em todo o planeta

Tempos modernos.... Dificuldades de se manter relacionamentos e eis que surge a BreakUp! É.. uma empresa especializada (???) em ajudar no processo do término do relacionamento (!!???). Antes dela, para aprimorar ou estabelecer relacionamentos (??), vieram os Tinders, Happn, Flert, Pof, ParPerfeito(!!!!???), dentre outros mais de 15 mil aplicativos e sites com essa peculiaridade no mundo todo.

A pressa generalizada das novas gerações, infectadas pelo "acelerômetro" do mundo moderno, não permite que as experiências ricas de relacionamentos de amizades, empregos, namoros (existem, ainda?), de crença (é.. até nessa área!), tenham a duração que a natureza superior (não a natureza da tecnologia) estruturou. Se você acredita em Deus, é da natureza Divina que falo. Se você não acredita em Deus, então falo da natureza do DNA, da evolução das espécies, de Darwin, onde tudo é mais lento, por força dos processos que qualquer uma das naturezas mencionadas orientam. Mas a pressa de ter pressa, nubla essa riqueza. É verdade que parece mesmo que nosso mundo irá acabar, diante de algumas defecações que alguns seres humanos vêm fazendo no decorrer da história (políticos gananciosos, cegos e corruptos/corruptores; empresários gananciosos, cegos e corruptos/corruptores; religiosos gananciosos, cegos e corruptos/corruptores; funcionários públicos gananciosos, cegos e corruptos/corruptores; cientistas gananciosos, cegos e corruptos/corruptores, dentre outros - acho que me fiz entender, não?). E a vontade de viver intensamente, que não é ruim em si, mas que em muitos casos, é um sinal de contaminação do vírus "pressa do eu".

Tudo - absolutamente tudo que nos cerca, tem um efeito de egocentrismo. Não falo do olhar bom e justo para consigo. Aquele que procura reconhecer seus erros e virtudes - verdadeiros . Falo do egocentrismo puro. O mundo (prazer, trabalho, amizade, relacionamentos gerais), indica que "eu sou o centro do universo". Eu tenho de gozar muito e antes, de preferência. E uso o verbo gozar aqui em todos os sentidos, inclusive no da sexualidade.

Se você não faz parte dos contaminados com esse vírus chamado "pressa do EU", relaxa. Não é contigo esta prosa. Volto a dizer. Pensar e agir sobre o EU real é nosso dever e obrigação para que tenhamos um ganho de evolução. Olhar apenas para o próprio umbigo, não leva ninguém a parte nenhuma. Satisfazer os próprios desejos, sem avaliar os custos e consequências é sinal claro de contaminação do vírus "pressa do EU".

O mundo é feito de pessoas. Interagir, iniciar relações, mantê-las e terminá-las (com tudo que tem direito - alegria, euforia, tristeza, remorso, mágoa, rancor, perdão, reconciliação), mesmo que seja difícil e sofrido, faz parte do aprendizado. Acelerar isso ou tentar pular etapas, faz cada indivíduo estacionar na evolução pessoal e, consequentemente, frear a evolução planetária.

"O melhor é não falar com ninguém"


Ainda sobre relacionamentos, por aqui no Brasil, uma das propagandas mais absurdas que tem passado em brancas nuvens pela crítica especializada e pelas pessoas conectadas, que de tão conectadas, não enxergam o óbvio. O horror da assinatura final de uma das peças de TV do Ifood remete meu pensamento para a Matrix, pois a virtualidade e o não contato com seres humanos reais parece ser o objetivo do Ifood. Fábio Porchat diz, literalmente, no final do texto que vende a empresa de pedidos On Line e APP (mobiles) "E O MELHOR DE TUDO, NÃO PRECISA FALAR COM NINGUÉM"... É... acho que estamos por aqui neste planeta Terra com outros 7 bilhões de habitantes para não falarmos com ninguém...

Talvez a publicidade explique um pouco sobre relacionamentos de curta duração. Ou será que o vírus influenciou a publicidade? Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais? A Ifood ainda tentou aliviar a dureza da mensagem anterior, que imagino que alguma boa alma tenha percebido, ao colocar o Fábio Porchat conversando com a Judith, não para fazer um pedido de comida, mas apenas para saber como que ela estava... blá. blá... Mas até nessa peça a coisa não termina bem, pois ele coloca o telefone num aquário para que os peixinhos ficassem ouvindo as respostas da Judith...

É .. chama a BreakUp e uma nave pra mim, por favor!


Publicado por: Bira Castellano

       

Notícias